Arquivo do mês: julho 2007

Praia do Forte

Estar em Praia do Forte requer tempo para saber-se vivo. Esta é a delícia que a vida nos prepara e que a urbanidade de Salvador corrói, sufoca no centro urbano de poeira, fumaça, engarrafamentos e caos estressante. Praia do Forte nos convida a sabermo-nos humanos, seres naturais, que respiram e inspiram… estar na praia a ver a vida e a paisagem de barcos que ondulam para lá e para cá nos dá tempo de expirar as mazelas diárias.

Ontem tive a oportunidade de estar entre amigas a sorver um pouco do que a vida tem de bom. Um dia curto, poucas horas de diversão, suficientes, entretanto, para me dar novo fôlego e fazer respirar a canseira de trabalhar em um centro urbano neurótico.

Depois de umas cervejinhas na praia, um atendimento ruinzinho de dar dó e uma comidinha que nem valeram a pena na segunda barraca, ainda assim, nada disso conseguiu nos irritar ou tirar do clima de relaxamento total bem ao estilo fugere urbem, carpe diem.

 

Sair andando a pé, sentindo a areia a massagear a alma e ver a vida acontecendo tão lentamente só nos conduz à felicidade.

Ainda bem que, apesar de tudo, existe a praia. E, para mim ( e para o poeta), o grande lance será sempre fazer ROMANCE.

___________________

O jantar foi de lamber os beiços lá no Mundo Blu em Praia do Forte. Delicioso.

Anúncios